Wai dor lei ah yut ho (Dream Home) Ho-Cheung Pang (2010) China


Os Chineses reinventaram o slasher-movie !
Quando eu pensava que nada já haveria para fazer neste género eis que me surge pela frente uma coisa como esta.
Bem-vindos a [“Dream Home“] provavelmente o primeiro filme de terror sobre a crise imobiliária alguma vez produzido.
Digam-me lá que nunca sonharam com um apartamento localizado num sitio como este abaixo ?

Eu odeio Slashers.
Nunca percebi a piada daqueles filmes em que um gajo com uma faca limpa um a um os personagens da história cortando-os ás fatias e é um género que sempre me deu sono.
Nunca percebi a importância de “Halloween” de John Carpenter e filmes como “Sexta Feira 13” se me conseguirem manter acordado só me dão vontade de pegar numa faca e xinar os autores do produto também. E a isto nem “Psycho”  escapa.
Este tipo de filmes nunca me interessaram de todo, nem que fossem consideradas inovadoras obras primas do cinema pois estou-me borrifando para uma suposta cinéfilia obrigatória.

Por outro lado não tenho nada contra adolescente boas em t-shirts molhadas a serem esfaqueadas por ordem de entrada mas sinceramente sempre achei os slashers das coisas mais desinteressantes alguma vez produzidas pelo cinema pois não me recordo de alguma vez ter sentido qualquer suspanse ao ver um titulo do género na sua fórmula americana adolescente mais pura.

Por isso agora [“Dream Home“] surpreendeu-me bastante.
Primeiro não estava nada á espera que este filme fosse um slasher-movie, pois fui vê-lo sem saber nada sobre ele e estava convencido que seria algo semelhante a “Dark Water” ou uma simples história de fantasmas passada em apartamentos assombrados.
Quando o filme entra logo nos primeiros minutos pelo puro slasher-filma dentro fiquei bastante surpreendido e ainda mais surpreendentemente, desde o primeiro massacre nunca mais consegui desviar a atenção desta história pois tudo parecia por demais bizarro e estranhamente cativante.

[“Dream Home“] não é propriamente um filme normal sobre psicopatas. Esqueçam o “Psycho”, o Jason ou até o Hannibal Lecter. A tipa deste filme deve ser o melhor psicopata de todos os tempos pela forma aparentemente arbitrária como despacha com naturalidade e simplicidade todas as pessoas que se intrometem entre ela e o seu sonho de poder comprar um apartamento com vista para o mar em Hong Kong.
Nota alta para a actriz principal e para um personagem tão cativante quanto repulsivo que alterna algures entre uma normalidade a explodir de frustração e o carrascos mais sádico que vocês poderão alguma vez ter visto desde “Audition“; curiosamente outra mulher aparentemente simpática.

A história acaba por ser cativante porque pelo meio da carnificina, na verdade [“Dream Home“] é um drama num formato episódico onde por entre flash-backs que nos explica porque razão a miuda decide limpar o sebo a tudo o que mexe num bloco de apartamentos inteiro, ainda há espaço para um estilo de filme que tem muito pouco a ver com o que esperariamos encontrar num slasher-movie.

Na verdade não há muito mais para dizer sobre isto. É um filme totalmente claustrofóbico e torna-se fascinante porque é realmente um filme de terror baseado na crise económica o que lhe dá uma actualidade bem divertida e talvez por isso até muita gente na net classifique este filme como comédia negra. A mim não me deu grande vontade de rir, mas se calhar foi porque estava demasiado espantado com a originalidade de todo o conceito e demasiado arrepiado com mulheres grávidas a esvairem-se em sangue e asfixiadas com aspiradores em modo de sucção…

Sim, porque não se esqueçam que isto é um filme de terror. E terror que funciona não só porque mete nojo enquanto filme gore, mas porque realmente a atmosfera da história e a própria caracterização da personagem principal muito contribuem para que depois as cenas com tripas e baldes de sangue ainda nos pareçam mais angustiantes.
Se gostam de cenas de tortura completamente indiscritíveis têm aqui o vosso melhor filme a seguir talvez a “Ichhi The Killer” e, claro, “Audition“.

E se pensam que já tinham visto tudo no que toca a cenas de tortura e banhos de sangue, se calhar é porque ainda não viram [“Dream Home“]. O impacto não está propriamente no gore , mas sim na parte psicológica que o envolve o que torna este filme numa história completamente eficaz que os vai arrepiar e confundir.
Confundir porque ás vezes irão ficar sem perceber o que raio se pode passar mais a seguir e como poderão as próximas cenas de tortura poderem vir a ser ainda mais angustiantes do que a anterior.
Isto porque o filme abre logo bem nesse aspecto. Mal a primeira cena de tortura com o segurança apareceu, percebi logo que [“Dream Home“] tinha qualquer coisa de muito especial e até original que felizmente soube manter até ao fim.

Há de tudo nisto, espancamentos, droga, sexo oral, sexo kamasutrico, meninas orientais nuas, mulheres grávidas que se esvaiem em sangue, adolescentes cortados aos bocados com tripas para fora, tiros na cabeça, castrações á faca, penis decepados em grande plano, mais sexo, tábuas pela nuca, etc, etc, etc num manancial de horrores físicos em tom totalmente doentio que não se recomenda de todo a quem se impressiona com este tipo de cenas ou tem estômago fraco.

E parece que também tem comédia. Dizem.

——————————————————————————————————————

CLASSIFICAÇÃO:

Provavelmente não irei voltar a ver isto tão cedo, mas não há dúvida que estamos na presença de um produto de horror bem original e muito eficaz.
Não só é um excelente filme gore de terror, um óptimo e muito original slasher-movie (quem diria…) mas ainda tem espaço para ser um drama eficaz que embrulha bastante bem todo o horror á volta da personagem principal que na verdade só quer que lhe deixem comprar uma casa nova aproveitando a crise do mercado.
Sendo assim, não posso deixar de lhe dar cinco tigelas de noodles pois pode não ser um daqueles que nos apeteça ver mais do que uma vez, mas enquanto dura vai mantê-los interessados, horrorizados e fascinados.

noodle2.jpg noodle2.jpg noodle2.jpg noodle2.jpg noodle2.jpg

A favor: a personagem principal é fantástica, as cenas de tortura são angustiantes e cheias de momentos surpreendentes, tem sangue e visceras que nunca mais acabam, boa atmosfera e excelente utilização dos cenários para criar suspanse. Parece que foi baseado num caso real…bolas, bolas, bolas !!!
Contra: estranhamente o filme nem tem 100 minutos sequer mas pareceu-me ter duas horas no mínimo por isso há algo que falha a nível narrativo e talvez o drama precisasse de ter sido apresentado de uma forma mais dinâmica.

——————————————————————————————————————

NOTAS ADICIONAIS

Trailer
http://www.youtube.com/watch?v=o4dD1Fvw6XI

Comprar
Baratinho na Amazon Uk em DVD.

Download aqui com legendas em PT/Br

IMDB
http://www.imdb.com/title/tt1407972/

——————————————————————————————————————

Filmes semelhantes de que poderá gostar:

 

——————————————————————————————————————

Koizora (Sky of Love) Natsuki Imai (2007) Japão


Dentro do género romântico japonês, [“Sky of Love“] é um dos melhores e mais bonitos filmes que me passaram pela frente desde há alguns anos a esta parte e não estava nada á espera de que logo este fosse um título tão atacado na net, principalmente em reviews saídas dos Estados Unidos.
Até porque não difere muito do que costumamos ver dentro deste género romântico e na verdade já vi coisas muito mais pirosamente sexualmente foleiras saídas de Hollywood e nunca ninguém disse nada.

É que…mas que raio…terá sido este é o único filme sobre sexo adolescente, violação e aborto  que esta gente viu na vida ?!
Como pode haver na net pessoas chocadas por [“Sky of Love“] falar sobre o tema da gravidez adolescente de uma perspectiva totalmente natural ?

Além, disso dizer que [“Sky of Love“] tem cenas de sexo só se for na imaginação de quem ataca o filme, pois não esperem miúdas nuas nesta história. Aliás, nem nas tais cenas chocantes se vê um cotovelo sequer.

[“Sky of Love“] também é atacado por certos reviewers americanos porque mostra uma breve cena com adolescentes a beberem, a fumarem e a participarem numa festa com muita devassidão onde curtem uns com os outros sem sequer serem namorados !! Como é possível andarem a dar ideias destas aos adolescentes que nunca pensaram nisto antes ?!
Agora por causa deste filme todas as crianças vão descobrir que existe tabaco e que as meninas têm partes diferentes dos meninos.
Eu estou chocado. Até porque os americanos nunca fizeram filmes parvos com Spring Breakers nem nada…

Estou chocado, porque não estava nada á espera de encontrar reacções destas perante um filme tão bonito quanto este.
E mais uma vez, eu sei…eu sei que já vimos esta história mil vezes em outros romances cinematográficos orientais, eu sei que tudo é fofinho de propósito neste filme para nos fazer chorar baba e ranho e eu sei que não há um pingo de originalidade em [“Sky of Love“] porque segue todos os clichés do género ao mínimo detalhe.
Mas será um título tão pouco original assim ? Ou haverá algo de muito mais interessante em [“Sky of Love“] que algumas pessoas parecem não ter tido olhos para ver porque estavam demasiado ocupadas em pregar moral em vez de se deixar levar pelo universo da história?

Para começar tem uma coisa extraordinária. Os personagens são muito bons e esta história supostamente banal está filmada de uma forma tão cativante que a meio do filme já nem nos lembramos que já vimos isto antes mil vezes no cinema teen japonês o que não deixa de ser um resultado notável. Acreditem-me, vocês vão chegar ao final deste filme e nem se lembram que já viram isto dezenas de vezes antes pois [“Sky of Love“] é totalmente eficaz na forma como conduz a nossa atenção para o coração emocional da história e nos faz esquecer tudo em redor enquanto o filme não acaba.
Aqui e antes que me esqueça uma nota para o elenco que é perfeito. O par romântico principal é fantástico pela sua naturalidade e totalmente carismático, com grande destaque para actriz principal que na minha opinião tem uma prestação extraordinária neste filme e parece que ninguém notou esse facto.

Percorre toda a história em vários registos dramáticos (representando várias idades) com uma naturalidade espantosa e se calhar é por isso que tanta gente ataca o filme também, sem notarem que ao atacarem os acontecimentos representados na história estão na verdade a valorizar o trabalho dos actores que quanto a mim estão absolutamente mágnificos nisto.
Neste aspecto, também uma nota á parte para o actor que já vimos antes como protagonista de “Cyborg She” e que tem aqui um personagem secundário bem mais contido que os fará ficar ainda a gostar mais desta história. Isto porque mais uma vez, até aquilo que supostamente seria um triangulo amoroso banal, também aqui também funciona com uma dinâmica dramática que os irá não só surpreender como provavelmente emocionar-vos e dar-lhes um tópico ou dois em que pensar. O que não está mal para um filme que á primeira vista parece tão previsivel assim.

Uma das grandes forças deste filme em relação a todas as outras histórias de amor que estamos habituados a ver saídas do oriente, está no facto de que [“Sky of Love“] entra por um registro assumidamente mais dramático do que é costume e quando muita gente pensava que ia ver outra história romântica muito ligeira de repente leva com um título que antes de ser uma lovestory é acima de tudo um drama no sentido mais sério, também muito fruto dos próprios temas que aborda e da forma como os apresenta como fazendo parte da vida.

Como alguém refere numa outra review algures na net, atacarem [“Sky of Love“] ou qualquer outro drama romântico japonês com o argumento que é mais do mesmo e que já vimos esta formula ou esta história mil vezes antes é o mesmo que dizer que também não vale a pena vermos mais filmes de terror porque todos seguem a mesma fórmula. E quem diz filmes de terror, diz filmes de acção e por aí fora.
Portanto não é por ser outra história romântica japonesa que [“Sky of Love“] poderá ser desconsiderado. Quando muito seria por ser outra história romântica japonesa mas sem grande interesse ou falta de personalidade e isso garanto-vos que este filme não é, pois identidade, personalidade e muita alma não lhe falta e como tal na minha opinião vocês podem partir para isto com toda a confiança pois é realmente do melhor que anda por aí dentro do género.

Se calhar é um filme que confundiu muita gente porque ao início parece uma coisa e depois apanha o público de surpresa quando percebemos que tem uma temática mais profunda do que parecia a um primeiro olhar.
É que se vocês detestam aqueles ambientes fofinhos de meter vómito ao melhor estilo romance japonês para teenagers, até se vão passar com a atmosfera dos primeiros vinte minutos de [“Sky of Love“]. Isto porque tudo é tão cute em modo histérico que mais parece que estamos a ver um daqueles Animes para miúdas onde tudo é ultra feminino e cheio de estética fofinha quanto baste.

O que não falta em [“Sky of Love“] são colegiais japonesas em fatinho típico tão popular e ainda por cima tudo complementado com uma estética visual absolutamente luminosa que cria verdadeiras sequências onde quase nos parece que estamos a ver um desenho animado totalmente colorido ao melhor estilo japonês.
E é aqui que está o grande contraste do filme, pois quando de repente nos apercebemos que se calhar nem tudo é tão luminoso assim na vida dos personagens já é tarde e ficamos fascinados com o permanente contraste entre o drama das suas vidas e a incrível luminosidade absolutamente poética do ambiente em que a sua história decorre.
Um bom exemplo disto é a cena da violação que termina com uma imagem fabulosa num campo de flores.

Outra coisa curiosa sobre este filme é que parece que [“Sky of Love“] foi baseado numa história real que ocorreu no japão no início deste século (pelo visto o cinema deles conta histórias tão simples que podem ter eco na vida real e vice-versa); e que se tornou famosa porque esta foi publicada na forma de diário pela web num (popular?!) formato conhecido por aquelas bandas como – romances para telémovel (quê?!!) – e que pelo visto muita gente lê por todo o lado.
Parece que o pessoal no Japão em vez de ler livros, lê novelas nos ecrans de telémovel e como tal esta teve um sucesso tal quando foi disponibilizado para download que acabou sendo editado num livro a sério que vendeu como o raio, foi editado em Manga e portanto daí até ser um filme … a coisa nem poderia ter sido de outra forma.
E ainda bem.

Portanto, eu adorei [“Sky of Love“].
Há muito tempo que não encontrava uma love-story com tantas qualidades. Apesar de não ter um pingo de originalidade a nível de formato, tem pormenores fantásticos, muitos momentos dramáticos que resultam plenamente e está carregado de imagens inesquecíveis absolutamente poéticas que criam um contraste por vezes brutal com o que acontece na história.

Pode ser previsível, mas usa essa previsibilidade para tratar de uma forma natural todos os temas, tem interpretações fantásticas e mesmo assim consegue ter um suspanse extraordinário no que toca á forma como poderá acabar pois percebemos o que irá acontecer mas há sempre uma dúvida no ar por causa da introdução do terceiro elemento na história de amor o que lhe dá um toque humano diferente que nos faz colocar dúvidas a propósito do desfecho.
Um pormenor que não só resulta como dá imensa personalidade ao filme.

Sendo assim, pela parte que me toca achei [“Sky of Love“] uma das melhores histórias de amor deste género desde talvez, “The Classic“. É melodramático ? É sim, mas resulta e bem.
É também uma história que também não teria o mesmo impacto se os telemoveis nunca tivessem sido inventados, pois faz desse objecto do quotidiano um pormenor essencial não só para a carga dramática do filme como principalmente para a cena da despedida final que os fará ter nós na garganta pela sua eficácia enquanto ideia genial para um momento romântico e surpreendentemente cheio de suspanse dentro do contexto do  filme.

——————————————————————————————————————

CLASSIFICAÇÃO:

Outra das melhores histórias românticas orientais que existem para ser apreciadas e mais outra prova de que filmes com adolescentes, sobre adolescentes não têm que ser produtos vazios e descaracterizados, mesmo quando seguem todas as regras de um género que já foram repetidas mil vezes noutros títulos semelhantes.
Uma obra com uma grande simplicidade narrativa mas com uma realização fantásticamente discreta, num filme cheio de imagens lindíssimas e uma fotografia luminosa perfeita que contrasta com o tom cru e triste de muita da temática da história.
Cinco tigelas de noodles e um Golden Award como selo de qualidade porque este é outro daqueles filmes que rebenta a escala embora não pareça de todo ser um filme tão bom quanto na realidade é.

noodle2.jpg noodle2.jpg noodle2.jpg noodle2.jpg noodle2.jpg gold-award.jpg

A favor: mais uma vez toda a humanização dos personagens (inclusivamente dos vilões da história num pormenor final que surpreende pela inclusão inesperada num dos melhores momentos do desenlace), o trabalho da actriz principal é fantástico e se calhar não se nota a uma primeira visão pela naturalidade como tudo acontece no ecran, idem para os protagonistas masculinos que compõem o triangulo amoroso, é formulático e chega pois nem precisava de ser original para ser fantástico, mais do que uma love story é um bom drama sobre adolescentes que não trata o público por imbecil, a fotografia é incrível com imagens absolutamente inesquecíveis pelo filme inteiro, surpreendentemente consegue ter suspanse o que não deixa de ser notável pois já vimos isto tudo antes, tem uma história que não evita falar de sexo, bullying, violação ou aborto entre muitos outros pequenos temas surpreendentemente bem inseridos, o segmento final é totalmente emocional no melhor dos sentidos e mesmo que não queiram se tiverem um batimento cardíaco vão gastar quilos de lenços de papel e fronhas de almofada (bom filme para ver ca namorada…;), é quase um remake de “My Girl & I” mas onde desta vez está mesmo tudo no lugar certo e nada falha.
Contra: já vimos esta história antes várias vezes mas sinceramente…who cares !

——————————————————————————————————————

NOTAS ADICIONAIS

Trailer
http://www.youtube.com/watch?v=0_KWYW5qu9o

Comprar
Este dvd está esgotado em tudo quanto é sitio, por isso se o encontrarem algures digam-me alguma coisa.
O sitio mais provavel onde poderá aparecer primeiro será por aqui…
http://www.yesasia.com/us/koizora-aka-sky-of-love-dvd-english-subtitled-hong-kong-version/1020251637-0-0-0-en/info.html

Download com legendas em Inglés,aqui  ou aqui.

Download com legendas em PT/Br aqui.

IMDB
http://www.imdb.com/title/tt1194664/combined

LER O MANGA

——————————————————————————————————————

Outros títulos românticos semelhantes recomendados:

The Classic concerto_capinha_73x

——————————————————————————————————————