CINEMAsiatico.wordpress.com

Tôku no sora ni kieta (Into the Faraway Sky) Isao Yukisada (2007) Japão

Deixe um comentário


Mais um filme bastante estranho e original saído do japão. E grande também…
Se o Emir Kusturica adaptasse romances do Jorge Amado filmando-os no japão com uma atmosfera de Stand By Me e um toque de Dandelion Wine do Ray Bradbury o resultado seria [“Into the Faraway Sky”].



Se procuram um filme oriental com uma atmosfera rural única e um toque de fábula campestre não vão mais longe, pois irão achar esta história fascinante.
Eu ainda não sei o que raio é este filme mas é absolutamente hipnótico e apesar de já o ter visto por trés vezes ainda não cheguei a nenhuma conclusão coerente sobre ele, a não ser que merece ser visto.



[“Into the Faraway Sky”] tenta ser muitas coisas ao mesmo tempo e desta vez o conjunto geral até resulta bem. Acho…
Ainda não cheguei a uma conclusão sobre o que vi e como acho que nunca irei chegar já sei que vou continuar a ter que rever este fascinante filme por muitas vezes.
[“Into the Faraway Sky”] é uma daquelas obras que ficam num canto da nossa memória depois de o vermos pela primeira vez e raramente nos lembramos de voltar a espreitar. Mas se o fizermos , depois quando começamos a rever o filme, não conseguimos parar pois temos que o ver até ao fim novamente pois tudo é tão cativante quanto estranho e não conseguimos tirar os olhos do ecran.
Até porque está cheio de imagens bonitas e muito cuidadas que ajudam a criar aquele tom de fantasia que percorre todo o filme.

Isto lembra-me uma história do Jorge Amado, porque li há pouco o romance “Tieta do Agreste“, (o tal em que basearam também a clássica telenovela) e também em [“Into the Faraway Sky”] encontramos pormenores semelhantes naquele tom satírico e muito engraçado. Também [“Into the Faraway Sky”] se passa algures num meio rural totalmente isolado e quase esquecido, onde não faltam os personagens dos coscuvilheiros que comentam tudo e todos, do Coronel que tudo manda, do louco da vila e claro uma casa da Luz-Vermelha com as típicas prostitutas locais. E isto para nem falar do resto no que toca a personagens.

Tal como em “Tieta do Agreste” de Jorge Amado, também [“Into the Faraway Sky”] é uma história á volta da ecologia e da eterna guerra entre o progresso e a natureza. Se em “Tieta” tinhamos no Brasil a empresa poluidora  Brastâmio, aqui em [“Into the Faraway Sky”] temos no Japão o projecto da construção de um novo aeroporto que vai destruir o pequeno paraíso rural encantadamente perdido no tempo, mas toda a dinâmica dramática e humorística funciona como no romance de Jorge Amado, desta vez representado visualmente no tal cruzamenteo entre “Gato Preto Gato Branco” de Kusturica com Stand By Me de Rob Reiner.
Confusos ? Eu não estou.
Se conhecerem bem todas estas referências vão perceber o que quero dizer e muito provavelmente concordarão depois comigo. Se não conhecerem, recomendo que as espreitem a todas, especialmente a obra de Jorge Amado que é genial e muito divertida, (tal como a novela de lá retirada já o foi ha vinte anos atrás).

[“Into the Faraway Sky”] estranho porque (não) é muita coisa ao mesmo tempo numa mistura de pormenores que há partida tinham tudo para não encaixar mas que resultam num filme que é tudo menos aquilo que aparenta ser.
Foi apresentado algures como filme de fantasia, mas na verdade não sei se isto se poderá encaixar no género apesar do seu ambiente algo encantado e de mundo perdido. No entanto, em alguns momentos faz lembrar o tom feliz e irreal do fantástico Anime “My Neighbour Totoro” de Miyazaki, por isso se gostaram da atmosfera rural desse desenho animado encontrarão aqui em [“Into the Faraway Sky”] quase o seu equivalente edílico em imagem real.


Este filme também já foi apresentado em alguns sitíos como sendo um filme para crianças, o que não podia estar mais longe da verdade. É certo que mais de metade do elenco é composto por crianças mas esta história é bem mais que um filme infantil de sábado á tarde não só pelas questões que aborda como pelo facto de meter putas rurais que convidam os homens na beira da estrada assediando quem passa mostrando as cuecas. Uma temática muito pouco comum no cinema para crianças.
A não ser que os japoneses estejam também muito á frente no cinema infantil…

[“Into the Faraway Sky”] é uma história contada pelo ponto de vista do elenco infantil, mas é mais um filme para aqueles adultos que ainda se recordam da magia do tempo em que eram crianças do que um produto para o público mais novo. Um pouco como “Stand By Me” era dirigido ao público adulto contando uma história infantil, também aqui este filme segue mais ou menos a mesma fórmula, por isso não se afastem de [“Into the Faraway Sky”] por causa de parecer um filme para putos porque é bem mais do que isso. Embora resulte bem a todos os níveis e cada faixa etária encontrará nele um ponto de referência que o fará gostar de acompanhar todos estes personagens, alguns bem alucinados e inesqueciveis.

E personagens geniais é coisa de que este filme não tem falta, desde os dois carismáticos cegos que tudo veêm e que bem no estilo dos velhos dos Marretas vão comentando os acontecimentos sociais do local, até ao “Coronel” que supostamente manda em tudo mas que na verdade não manda em nada, passando pelo gang de ciganos  japoneses (?!) que vive numa espécie de aldeia fortificada estilo Astérix, até ás prostitutas de vários feitios e formatos (inclusivamente uma anã), tudo nesta história remete quase para uma espécie de realidade paralela que ás vezes também parece saida de uma canção de Tom Waits se este escrevesse músicas no japão…🙂
E ainda há uma miuda que fala com ovnis e quer capturar meteoros com o seu telescópio…isto para nem falar do louco da aldeia.
Aliás, há tanta coisa neste filme que é melhor eu nem contar mais para não estragar o prazer da descoberta.

Ah…
E já agora um aviso.
Não vejam este filme ao jantar ou se tiverem um estômago sensível.
Ainda alguém me há de explicar porque raio os orientais gostam tanto de piadas com caca !!!
Parece não haver comédia ou drama com algum humor saído do oriente que não meta um gag ou dois com merda, mas caramba…[“Into the Faraway Sky”] exagera um bocado !!!
Acho que nunca tinha visto um filme com tanto humor de merda como este. Há caca que nunca mais acaba nisto, falsa e real (closeups de cus de vacas a obrar…) e escatologia quanto baste.

Já lhes disse que [“Into the Faraway Sky”] é um filme algo estranho ?
Sinceramente eu nem sei bem o que dizer de tudo isto. Acho-o bastante cativante, mas também não está isento de algumas falhas. Para começar é grande demais e passa dos 140 minutos quando se calhar não precisava e depois alterna entre a comédia e o drama de uma forma que ás vezes parece não ligar muito bem, mas isto se calhar deve-se ao facto de haver tanto personagem e tanta situação a acontecer neste filme que seria inevitável que alguma coisa não pudesse ligar bem.

Tem tópicos a mais e dispersa-se um bocado por todos eles e embora tente centrar-se no tema da construção do aeroporto as coisas nem sempre resultam totalmente coerentes até porque muitas vezes estamos totalmente confundidos enquanto espectadores no meio de tanto personagem alucinado e tanta situação indiscritivel.

——————————————————————————————————————

CLASSIFICAÇÃO:

Se procuram um produto cinematográfico único e com alguma poesia, com montes de atmosfera e originalidade quanto baste, então [“Into the Faraway Sky”] vai agradar-lhes certamente. Quanto mais não seja vale a pena vocês espreitarem pois não quero ser o único a ficar com o cérebro frito a tentar compreender tudo isto.
É um filme cheio de atmosfera tão encantada quanto alucinada e provavelmente será um daqueles que ou se detesta ou se gosta muito. Eu adorei e só não lhe dou ma nota ainda melhor porque … na verdade nem sei.
Quatro tigelas de noodles porque merece ser visto.

noodle2.jpg noodle2.jpg noodle2.jpg noodle2.jpg

A favor: o ambiente rural num estilo quase mundo perdido é totalmente cativante, os personagens são alucinados, os dois velhos cegos são muito engraçados, tem um toque de originalidade que resulta, mistura bem coisas e pormenores que pareceriam impossíveis de serem misturados, o elenco infantil é fantástico.
Contra: poderá ser demasiado estranho para muita gente, poderá ser confundido fácilmente com um filme para crianças, tem demasiadas piadas com caca por todo o lado !!!

——————————————————————————————————————

NOTAS ADICIONAIS:

Trailer
http://www.youtube.com/watch?v=Nl5G5aFMnZc

Comprar
Excessivamente caro aqui.
Não encontro isto á venda em mais lado nenhum.

Download aqui ou aqui.

IMDB
http://www.imdb.com/title/tt0872029/combined
——————————————————————————————————————

Se gostou deste irá gostar de:
*Não há nada semelhante a isto no blog*

——————————————————————————————————————

Autor: Alcaminhante

Chamo-me Luis, tenho 45 anos e sou desenhador gráfico/ilustrador de profissão. www.icreateworlds.net Trabalho essencialmente como freelancer em ilustração tradicional e também em criação gráfica destinada á internet. Também trabalho em Banda Desenhada e quem quiser ir buscar os pdfs grátis do meu livro "As Aventuras do Príncipe Ziph" , sigam para aqui: http://icreateworlds.net/banda-desenhada-quadrinhos-gratis Interesso-me essencialmente por cinema, literatura, fotografia e longas caminhadas ao ar livre o mais longe de centros urbanos possível. De preferência junto ao mar e em praias isoladas. Tenho actualmente um blog sobre Cinema Oriental, outro sobre Ficção-Cientifica e ainda um site sobre Marte que podem encontrar aqui: http://www.o-enigma-de-marte.info Espero que gostem das sugestões e voltem sempre. Luis

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s