Fah talai jone (Tears of the Black Tiger) Wisit Sasanatieng (2000) Tailândia


[“Tears of the Black Tiger“] é um filme absolutamente único por vários motivos e se há um título que merece sem sombra de dúvida um excelente estatuto de filme de culto é este.

tears-of-the-black-tiger_08

Contrariamente ao que seria de esperar quando pensamos em Westerns, os Estados Unidos não foram os maiores produtores ( em quantidade ) de filmes de cowboys ao longo dos anos. Nem sequer foram os Italianos com a sua variante “Spaghetti” filmada normalmente em Itália ou no sul de Espanha.
Foram os Tailândeses.

tears-of-the-black-tiger_03

Em termos estatísticos parece que para desconhecimento total de todos nós, a Tailândia produziu uma tonelada de Westerns desde que o cinema chegou àquelas bandas. Na sua maioria títulos que nunca sairam do país mas que se tornaram em verdadeiros objectos de culto. Não propriamente pela sua qualidade mas sim pela sua originalidade, tal como é bem demonstrado aqui neste clip que um amigo me enviou há pouco ( pertencente ao filme Tailandês “San Basilio” de 1981 ). Foi a razão de eu hoje me ter lembrado que também estava na altura de recomendar [“Tears of the Black Tiger“] aqui no blog e portanto a ocasião não poderia ter sido melhor.
Vamos a isto. Viajemos até à terra dos cowboys, dos rancheiros, dos indios…A Tailândia.

tears-of-the-black-tiger_14

Não se assustem. [“Tears of the Black Tiger“] não é um “San Basilio” mas sim uma homenagem ao género, procurando não só reproduzir a atmosfera clássica “technicolor” da época como inclusivamente quer ainda recuperar o estilo kitsh ( em total modo pimba foto-novelístico), acertando em cheio na execução da ideia.
A tal ponto que muita gente pensa que este filme ou “é antigo” ou “está mal feito; (porque a imagem não presta)”

tears-of-the-black-tiger_32 tears-of-the-black-tiger_38

Parece que a Tailândia tem mantido um verdadeiro fascinio com o cinema Western norte americano  bem longe do conhecimento do publico ocidental.
Como se já não bastasse imaginarmos duelos de cowboys pelo meio de arrozais ( sim, campos de arroz no oriente ) depois a Tailândia ao logo das décadas foi misturando géneros ao Western até tudo ter dado origem a um estilo de cinema de cowboys verdadeiramente único, verdadeiramente desconhecido e verdadeiramente chunga, num certo sentido pimba divertido.

tears-of-the-black-tiger_40 tears-of-the-black-tiger_36

Isto porque os filmes Tailandeses ainda hoje não se livram daquela aura absolutamente inépta e amadora que torna o Cinema daquela região possivelmente no pior do oriente, pois são poucos os filmes Tailandeses que se conseguem suportar…
Tenho a certeza que se Ed Wood se tivesse nascido Tailandês teria sido certamente aclamado como o maior realizador do país, pois o cinema daquela terra continua a ser verdadeiramente “Edwoodiano”…para não lhe chamar outra coisa; ( especialmente desde que descobriram o CGI pois não deve existir pior utilização dessas técnicas modernas no cinema contemporâneo do que aquilo que a Tailândia faz actualmente com o digital…)
Mas como em tudo, há excepções absolutamente brilhantes e pelo visto ainda há quem saiba fazer cinema extraordinário na Tailandia.

tears-of-the-black-tiger_17 tears-of-the-black-tiger_18

Como alguém referiu um dia numa review, [“Tears of the Black Tiger“] é definitivamente um daqueles filmes que são a razão de muita gente se apaixonar pelo Cinema, enquanto 7ºArte.
Se o cinema se pode definir pela arte de contar histórias por imagens tentando ser o mais original e eficaz possível sem nunca esquecer que as mesmas também podem invocar poesia e emoção então como já foi escrito, este é um dos melhores títulos de sempre nesse aspecto; tanto pelo visual como pela própria atmosfera única desta história que nos hipnotiza por completo mal nos deixamos transportar para aquele universo adentro.

tears-of-the-black-tiger_41 tears-of-the-black-tiger_44

Nunca pensei recomendar um filme oriental dizendo isto, mas…
Quem adorar a obra literária de Gabriel Garcia Marquez, nomeadamente livros como “O Amor em Tempos de Cólera“, ou porque não, “Cem anos de solidão“, vai adorar [“Tears of the Black Tiger“].
Se Garcia Marquez tivesse sido realizador este teria sido o tipo de cinema que certamente faria adaptando muitos dos seus romances. Há por aqui aquela magia e aquele sentido de “realísmo mágico” característico da sua escrita, o que dá imensa personalidade a este filme.

tears-of-the-black-tiger_06 tears-of-the-black-tiger_12

Agora é que me meti mesmo em sarilhos pois vai ser muito complicado explicar o que quero dizer com isto, mas sinceramente espero que algum produtor coloque os olhos neste realizador e o obrigue a fazer um novo remake para cinema de “O Amor em Tempos de Cólera“, ou até mesmo uma adaptação de “Memórias das minhas putas tristes“.
Até pode ser tudo transposto em termos de ambiente para a Tailândia que irá ter mais alma, poesia e atmosfera “Marqueziana” genuína do que a última tentativa em piloto automática saida de Hollywood para adaptar “O Amor em Tempos de Cólera“ que foi absolutamente esquecível em todos os aspectos e um verdadeiro desperdício de um dos melhores livros de todos os tempos.

MCDTEOF EC039

[“Tears of the Black Tiger“] sem adaptar “O Amor em Tempos de Cólera“ ou qualquer outro livro de Garcia Marquez tem mais a ver com o seu universo literário do que qualquer coisa que Hollywood tenha tentado colocar no ecran nas últimas décadas.

tears-of-the-black-tiger_34 tears-of-the-black-tiger_43

Definir o que quero dizer ainda se torna mais complicado, se eu lhes disser agora que [“Tears of the Black Tiger“] é uma espécie de romance que Garcia Marquez nunca escreveu mas que poderia ter escrito se as suas histórias também metessem cowboys tailândeses pelo meio por entre palmeiras e campos de arroz.
Confusos ? Eu não.

tears-of-the-black-tiger_24

Logo desde os primeiros segundos [“Tears of the Black Tiger“] remete para uma atmosfera totalmente Garcia Marquez, o visual clássico da protagonísta de características étnicas ocidentais, o ambiente cénico a fazer lembrar aquela arquitectura colonial presente nos romances do escritor, as cores e os estimulos visuais que poderia ter sido decalcados de obras como “Cem anos de solidã0” e até o sentido de humor no estilo em que está presente em “O Amor em tempos de cólera“, tudo me fez ter a sensação de que estava a assistir no ecran à melhor adaptação de um livro que Garcia Marquez nunca escreveu e o resultado não poderia ter sido melhor.

tears-of-the-black-tiger_31 tears-of-the-black-tiger_09

Depois de eu ter visto tanto filme mau saído da Tailândia nos últimos tempos, não deixa de ser fascinante quando agora três dos melhores filmes que vi  saídos daquela região tenham sido  criados pelo mesmo realizador-argumentista.
O criativo Wisit Sasanatieng ; cineasta que entrou já para a minha lista de realizadores favoritos por causa de: “Citizen Dog“, “The Unseen” e [“Tears of the Black Tiger“].

Até hoje ainda não quero crer que [“Tears of the Black Tiger“]  me passou ao lado estes anos todos apesar de já ter sido filmado em 2000 !
Temos aqui mais um bom exemplo de outro título que pode agradecer a sua actual popularidade no nicho do cinema de culto à existência de internet. Se ainda vivessemos num mundo de há trinta anos atrás fechados nos nossos próprios países, alguém como eu jamais conseguiria ter acesso a este tipo de cinema, quanto mais ouvir falar dele; até porque aqui em Portugal, tudo o que não vem de Hollywood não existe desde sempre.

tears-of-the-black-tiger_04

[“Tears of the Black Tiger“] visualmente é absolutamente fascinante. Tem uma estética artificial quase teatral mas onde tudo foi construído tradicionalmente através de cenários, efeitos gráficos e pinturas, o que lhe dá uma atmosfera extranhamente natural apesar do histerísmo visual de practicamente todas as cenas e lhe confere um efeito muito menos plástico do que veio depois a acontecer em “Citizen Dog” onde tudo foi criado digitalmente.

 tears-of-the-black-tiger_02

O filme resulta em muitos níveis. Como drama romântico é genial. Ou melhor, diria mesmo, como tragédia romântica é genial, pois vai buscar aquele estilo melodramático totalmente over-the-top dos romances de cordel dos anos 30 e 40 e mistura tudo com a maior quantidade de clichés do Western mais puro num resultado final absolutamente surpreendente por muitos e variados motivos.
E ainda por cima enquanto filme de acção tem momentos clássicos a fazer lembrar o melhor e mais cru do trabalho de realizadores como Sam Peckinpah ou Samuel Fuller de uma forma divertidissima.

tears-of-the-black-tiger_23

[“Tears of the Black Tiger“] está cheio de tiroteios e baldes de sangue por todo o lado, o que o torna na primeira história de amor intensamente romântica com cenas gore absolutamente geniais, (vão adorar a bala pelos dentes).
Enquanto história de amor é fabuloso, não só visualmente como ainda tem muita alma e poesia pelo meio e nem o seu estilo totalmente melodramático em tom histérico de fazer chorar as pedras da calçada lhe retira o mérito de ser uma das melhores histórias de amor orientais ( e de todos os tempos ).
Muito pelo contrário pois é intensamente romântico ao melhor estilo clássico.

tears-of-the-black-tiger_16

Enquanto filme de porrada, ou melhor, enquanto filme-de-cábois é totalmente divertido. Não só a violência é estupidamente intensa a todo o instante embora totalmente cartoon, como está filmado num estilo que anda por ali algures entre os Westerns do final dos anos 60 e o cinema-exploitation do meio dos 70.
Muito daquilo que vocês viram Robert Rodriguez tentar recriar agora recentemente em filmes como Desperado, Planet Terror ou até mesmo Machete está aqui reproduzido em [“Tears of the Black Tiger“] de uma forma genuína para nos surpreender e divertir.

tears-of-the-black-tiger_35

Curiosamente o filme apesar de parecer ser uma espécie de dois-em-um com duas partes totalmente separadas que poderiam ser filmes isolados por si só, a coisa resulta plenamente quando a história de amor se junta ao western tailandês no acto final da novela.
Até lá parece que estamos a ver dois filmes diferentes ao mesmo tempo, inclusivamente com tratamentos visuais ligeiramente diferentes; por isso não se surpreendam.
Em [“Tears of the Black Tiger“] acompanhamos a história de amor no seu estilo telenovela melodramática em ambiente colonial por um lado, mas também um western-exploitation em modo ultra-violento por outro que depois irão cruzar-se num único ponto.
E não é que tudo isto resulta ?!

 tears-of-the-black-tiger_15

Quem viu “Citizen Dog” e gostou, vai adorar [“Tears of the Black Tiger“].
Desde os enquadramentos até ao tratamento de cor, tudo neste filme está no ecran para nos maravilhar e fazer entrar num mundo de fantasia muito próprio e incrivelmente único onde as referências clássicas abundam e nos obrigam a voltar ao filme por muito mais vezes só porque nos escaparam detalhes á primeira.
O estilo western-chunga é genial e o uso do technicolor dos anos 50 para a história de amor tem resultados não só intensamente românticos como visualmente fabulosos.
A cor na cena da praia por exemplo está extraordinária e o filme tem ainda um intenso sabor a “IN THE MOOD FOR LOVE“.
Portanto se sabem do que estou a falar, irão adorar [“Tears of the Black Tiger“] por muitos motivos.

tears-of-the-black-tiger_25

Em termos de história, haveria bastante para contar, mas como não quero estragar o prazer da descoberta acho que mais uma vez basta apenas referir que quem também gostou de livros como “O Amor em tempo de cólera” vai curtir muito [“Tears of the Black Tiger“]. Garanto-vos.
Não terá a complexidade de argumento de um romance de Garcia Marquez mas tem a sua alma e acima de tudo contém uma poesia semelhante, tanto no seu visual único e extraordinário como no próprio coração emocional da história.

tears-of-the-black-tiger_26

Quem quiser ver um filme de porrada completamente estilizado a fazer lembrar o melhor cinema chunga surpreendentemente vai encontrá-lo no meio de uma história de amor cheia de atmosfera.
Quem procura uma história de amor cheia de atmosfera surpreendentemente vai encontrá-la no meio de um filme cheio de tiros, bocados de pessoas a saltar por todo o lado e violência gratuíta quanto baste.
Ah e a banda sonora é fabulosa.

——————————————————————————————————————

CLASSIFICAÇÃO

Um dos filmes românticos mais bonitos e originais saidos da ásia que me apareceram pela frente até agora; até porque tem um estilo visual absolutamente clássico ao mesmo tempo que mete baldes de sangue e bocados de pessoas a saltar por todo o lado.
O mais incrível é que consegue criar uma história de amor com que nos importamos e consegue misturar dois géneros de filmes que nunca chocam nem parecem metidos a martelo.

tears-of-the-black-tiger_30 tears-of-the-black-tiger_13

Absolutamente notável em todos os sentidos e um dos filmes mais originais que já recomendei em qualquer dos meus  blogs de cinema.
Nunca viram nada assim.

Cinco Tigelas de Noodles e um Gold Award

noodle2.jpg noodle2.jpg noodle2.jpg noodle2.jpg noodle2.jpg gold-award.jpg

Porque é realmente surpreendente e muito criativo mas acima de tudo porque nos transporta para um mundo que nunca vimos e quase que nos apresenta uma espécie de realidade paralela em todos os aspectos.

tears-of-the-black-tiger_42 tears-of-the-black-tiger_37

A favor: um visual fabuloso, excelente banda sonora, personagens com que nos importamos, boa história de amor totalmente melodramática mas perfeitamente adequada, parece um livro do Gabriel Garcia Marquez se este escrevesse histórias com cowboys e baldes de sangue passadas na Tailândia, a fotografia estilo technicolor na sequência da praia, é muito divertido, tem cenas gore e gente cortada aos bocados, tem muita alma e é um exercicio de poesia visual, consegue ser cómico emocionante e dramático ao mesmo tempo que tudo resulta num filme completamente coerente, é de fazer chorar as pedras da calçada ao melhor estilo fotonovela das revistas clássicas.
Tudo o que falhou em Sukiyaki Western Django resulta plenamente em [“Tears of the Black Tiger“].

Contra: quem não gosta do estilo gráfico excessivamente artificial não vai gostar disto, pode ser demasiado estranho para quem procura algo mais mainstream…afinal não tem indios…

——————————————————————————————————————

tears-of-the-black-tiger_01

——————————————————————————————————————

NOTAS ADICIONAIS:

Trailers ( que vale a pena verem ):

——————————————————————————————————————

——————————————————————————————————————

COMPRAR DVD – REGIÃO 2 – EDIÇÃO UK
dvd
Boa edição para um filme que se está a tornar bem raro.
Infelizmente ainda não existe em bluray por isso é aproveitar em Dvd, porque está baratinho.
https://www.amazon.co.uk/gp/product/B00005UWPC/ref=as_li_tl?ie=UTF8&camp=1634&creative=6738&creativeASIN=B00005UWPC&linkCode=as2&tag=cinaosolnas-21

IMDB
http://www.imdb.com/title/tt0269217

Podem ir buscá-lo aqui.

Nota curiosa: A actriz principal, pouco depois do filme concluído foi vítima de uma doença rara que quase a matou. Foi internada já inconsciente e quando acordou tinham-lhe amputado uma das pernas para a salvar. Actualmente encontra-se bem.

0307141WRPv6

——————————————————————————————————————

Filmes estéticamente semelhantes de que poderá gostar:

The Promise capinha_citizen_dog

——————————————————————————————————————

 

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s