Saekjeuk shigong (Sex is Zero) Je-gyun Yun (2002) Coreia do Sul


Eu sei que existem inúmeras reviews deste filme espalhadas pela net que referem a história do mesmo.
Não se iludam, essas pessoas devem andar na droga.
Desafio qualquer pessoa a ver os primeiros 45 minutos de [“Sex is Zero“] e a tentar descrever-me o seu argumento.
Este filme é o caos absoluto ! Depois de ver [“Sex is Zero“] o mundo dividir-se-há entre aqueles que vão imediatamente comprar um bilhete de avião para a Coreia do Sul e os que riscarão aquele país de qualquer potencial rota turística para os próximos anos porque aqueles gajos estão tão á frente que se calhar pode ser perigoso para a saúde mental de um ocidental desprevenido.

Como descrever isto…
Eu que desde os anos 70 já devo ter visto todas as comédias porcas, desde o mais chunga filme cómico italiano, passando pelos israelitas “Gelado de Limão (elevado ao infinito)”, pelos franceses “Turma dos Repetentes”, pelos americanos “Animal House“, “Porkys 1, 2, 3″ mais toda a colecção de “American Pies” com subsequentes clones, pensava então que já tinha visto tudo e que já nada me espantava no que toca a comédias sexuais com adolescentes.
Até que vi o sul-coreano [“Sex is Zero“] este fim de semana.

Estou a tentar encontrar palavras para não tentar exagerar, mas quando eu pensava que já tinha visto tudo no que toca a gags sexuais, quando eu pensava que já não se poderia esticar mais a coisa sem roçar o XXX, [“Sex is Zero“] entra a matar com algumas das sequências mais criativas e inimagináveis que se poderia esperar num filme deste estilo.
Lembram-se da polémica e do debate moral que o primeiro “American Pie” suscitou na américa quando saiu ?  A cena em que o personagem do Jason Biggs, bem…moca uma torta em cima da mesa da cozinha suscitou na altura intermináveis debates sobre como a cena era chocante para as mentes dos teenagers, etc, etc, etc e como aquilo era uma coisa muito á frente na comédia etc, etc, etc.
Amadores.

Estes americanos são uns amadores, pois comparado com o que aparece em [“Sex is Zero“] todos os sketches do American Pie poderiam ser patrocinados pela Disney.
Se os americanos andaram todos chocados pelo Jason Biggs fornicar uma torta, o que dizer do hilariante ingrediente secreto para sandes destinadas a provocar efeitos afrodisíacos nas meninas orientais deste filme ?! E mais não digo.
[“Sex is Zero“] é um filme particularmente dificil de comentar aqui porque para o fazer de forma correcta eu teria de revelar porque razão a maior parte dos gags são hilariantes e isso estragaria logo metade do prazer em descobrirem este filme.

Posso dizer-vos no entanto que metade do fascínio desta comédia, não está propriamente no humor que apresenta mas mais naquele factor: – ” Eu não acredito que estes gajos estão a mostrar isto !!”.
Vejam [“Sex is Zero“] e passarão metade do tempo a exclamar coisas do género: – “Estes gajos têm mesmo lata !!”
Esta é uma comédia muito estranha que se torna hilariante, mais por aquilo que a gente nunca imagina que vai acontecer a seguir do que própriamente pelos gags. É dificil de explicar.

Não é própriamente a inovação das piadas sexuais que tornam o filme especial, mas sim a forma como elas são usadas e aparecem nos sítios mais inesperados tudo num ritmo verdadeiramente alucinante que nem dá tempo ao espectador respirar, ou muitas das vezes fechar a boca de espanto depois de mais outra exclamação do estilo: -“Eles não mostraram mesmo isto que eu vi pois não ?!”
Básicamente, uma coisa é certa, os jovens actores deste filme têm uma lata do caraças pela descontracção como abordam todas as situações mais inacreditáveis e humilhantes dos seus personagens.

Outra coisa que torna o filme diferente é o facto deste filme ter meninas nuas.
Muitas meninas nuas, semi-nuas, mamas, rabos, cenas de sexo quanto baste, etc.
Quem procurar por uma comédia com miudas orientais sem roupa  tem aqui não só um bom exemplo, como também um relativamente raro pois nudez feminina no cinema comercial oriental não é algo que se veja muito no cinema daquelas paragens, muito menos estando associada a um contexto tão sexualmente “explícito” como acontece neste [“Sex is Zero“] a todo o instante.
Esqueçam a imagem fofinha da miuda oriental, estas tipas são fofinhas mas têm mais hormonas aos saltos que o elenco masculino do filme todo reunido o que dá logo também uma outra vertente a esta comédia. [“Sex is Zero“] não é apenas mais um daqueles filmes com tipos atrás de gajas. Aqui elas também andam á caça de homens e sabem muito bem o que querem, para desgraça de muitos personagens que se metem nas piores situações por causa das miudas ao longo do filme todo.

E por falar em situações maradas, não recomendo que vejam este filme depois do jantar pois se são daquelas pessoas com estômago fraco fica aqui o aviso que [“Sex is Zero“] tem por base um humor primário do mais escatológico possível que envolve desde cenas com vomitado, a ratos ou a …bem… não digo. Boa sorte.
Fica só o aviso de que este filme é bem mais do que a comédia americana de suposta tendência politicamente incorrecta.
[“Sex is Zero“] nem se preocupa em fingir pois se querem gags politicamente incorrectos não procurem mais longe. E o engraçado nisto tudo é que resulta.
Tudo o que é de extremos neste filme parece extremamente natural. Tudo está dentro do contexto completamente anárquico e como tal contagia o espectador.
Muitos vão adorar o humor primário, muitos vão detestar mas não vão conseguir tirar os olhos do ecran porque precisam mesmo de ver o que poderá acontecer a seguir.

Pessoalmente, detesto humor deste estilo. Talvez porque quando era puto vi tantas comédias parvas de adolescentes que já não posso mais com piadas supostamente sexuais carregadas de hormonas imbecis.
No entanto tenho que confessar que abro uma grande excepção para [“Sex is Zero“].
Dentro do avacalhamento total este filme é capaz de ser bem uma obra prima do género.
E pode ser que um dia eu consiga até achar que isto tem uma história digna de ser resumida. Mas uma coisa de cada vez.

Mas este filme tem muito mais do que apenas gags nojentos. Aliás, tirando as piadas com cenas repulsivas consegue na verdade ir muito mais além do que muita comédia do género, tanto na maneira como usa o humor mas principalmente como inesperadamente usa o drama.
A última coisa que o espectador esperaria despois de passar pelo menos os primeiros 60 minutos de filme a ver cenas absolutamente avacalhantes em todos os sentidos seria de se deparar com um interlúdio sério e dramático na parte final do filme.
Súbitamente os dois personagens principais ganham vida.
Deixam de parecer os bonecos de cartão de comédia sexual adolescente estereotipada e inesperadamente tornam-se seres humanos reais levando imediatamente o espectador a interessar-se realmente pelo seu destino numa questão de segundos.

Aqui, nota alta para o realizador e para o argumento que souberam como ninguém, passar sem que nós nos dessemos conta de uma comédia desmiolada para um pequeno drama com alma sem sair do contexto caótico do filme.
Aliás, [“Sex is Zero“] tem uma cena que ainda não tinha visto em nenhum filme e ainda estou a tentar perceber como resulta tão bem mesmo tratando-se de algo no argumento que á primeira vista seria impossível de ligar de forma que pudesse funcionar. A verdade é que funciona não só bem, como acaba por ser dos momentos mais hilariantes do filme sem recorrer a piadas porcas.
É uma cena hilariante ao mesmo tempo que é muito triste e tudo resulta plenamente graças ao trabalho dos actores e naturalmente ao talento do realizador que tem aqui talvez a melhor cena do trabalho.
Isto poderá ser um pequeno *spoiler* mas preciso de explicar isto melhor. Trata-se da cena em que a protagonista recorre a uma clinica para fazer um aborto e arrasta o amigo com ela para se fazer passar por pai do seu filho. Acontece que o rapaz encheu o cabelo de compota de morango porque não tinha gel e durante toda a cena (realmente) triste e dramática em que se discute o aborto da rapariga o cabelo do rapaz está constantemente cheio de moscas o que cria um daqueles momento únicos em que já não sabemos se estamos a chorar por causa do drama ou por causa da comédia e quanto a mim é a cena do filme. */fim do spoiler*

Pela net, muita gente achou que o filme não precisava de uma parte dramática, pois até aí tinha sido apenas uma comédia desmiolada a abrir e quem apenas gosta desse tipo de filme não gostou que de repente os personagens enfrentassem um drama real.
Na minha opinião a parte dramática é precisamente aquilo que eleva esta comédia acima de muitas outras coisas ao estilo “American Pie”  sem cérebro, pois no meio de tanto caos , subitamente damos por nós realmente interessados naquela pequena história de amor.
Se há aqui um problema é se calhar o facto de que este bocado dramático deveria ter sido inserido mas era no “100 Days With Mr Arrogant” pois se esse filme tivesse tido um segmento dramático tão bom teria sido uma excelente comédia romântica, até porque os dois filmes são com a mesma actriz (em registros completamente diferentes).
Assim mesmo estando no [“Sex is Zero“] isso não chega para classificar o presente filme de comédia romântica porque na verdade é demasiado alucinada para isso, mesmo tendo um bom coração emocional apesar de tudo.

——————————————————————————————————————

CLASSIFICAÇÃO:

Apesar de me ter divertido muito com o filme, penso no entanto que não lhe posso dar mais que trés tigelas de noodles. Isto porque não é o tipo de filme que voltarei a rever muitas vezes e também porque já estou um bocado cansado de comédias sexuais adolescentes.
No entanto, não deixem esta minha classificação relativamente suave impedir que vejam  [“Sex is Zero“] pois é realmente uma comédia escatológica muitos furos acima de qualquer “American Pie”  e pelo meio ainda tem uma pequena história de amor com alma.
Se gostarem muito de comédias sexuais adolescentes podem acrescentar duas tigelas de noodles á minha classificação pois na verdade se vermos este filme apenas por esse prisma é realmente um produto cinco estrelas que lhes irá agradar certamente. E surpreender também.

noodle2.jpg noodle2.jpg noodle2.jpg

A favor: o caos absoluto do … “argumento” ? Muitos gags nojentos que resultam plenamente dentro do contexto do filme, a parte dramática tem alma e coração pois emociona-nos ao mesmo tempo que nos faz rir no meio da tristeza, tem meninas orientais nuas o que não se vê todos os dias num filme saído da Coreia do Sul, as piadas sexuais são literalmente um gozo, personagens masculinos e femininos em pé de igualdade sexualmente falando.
Contra: pode ter piadas um bocado nojentas para muita gente, algures nas partes finais o filme sofre uma quebra na montagem durante as sequências de ginástica e arrasta-se um bocado por minutos sem razão aparente, a realização não deslumbra e limita-se a seguir todas as fórmulas da comédia sexual adolescente que já vimos mil vezes…embora neste caso, isto tem muito que se lhe diga.

—————————————————————————————————————

NOTAS ADICIONAIS:

Trailer
http://www.youtube.com/watch?v=pXQ9YycK_MY

Comprar
Podem comprar esta óptima edição DVD na Amazon americana.

Imdb
http://www.imdb.com/title/tt0341555/

——————————————————————————————————————

Comédias semelhantes:

——————————————————————————————————————

2 thoughts on “Saekjeuk shigong (Sex is Zero) Je-gyun Yun (2002) Coreia do Sul

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s