Hoshi no koe (Voices of a Distant Star) Makoto Shinkai (2003) Japão


Não estava nos meus planos recomendar agora outro Anime, mas não posso deixar de falar deste [“Voices of a Distant Stars“] pois merece ser destacado.
Embora já soubesse da existência deste filme até dias atrás nunca lhe tinha prestado grande atenção, por isso agora é melhor redimir-me deste desprezo e tentar contribuir para que uma pequena obra prima não lhes passe também ao lado durante tanto tempo quanto eu a ignorei.

E ignorei-a feito estúpido, porque tinha dificuldade em aceitar que um filme asiático de animação que não chegava a ter meia hora de duração pudesse alguma vez ser tudo aquilo que pretensamente muitos textos na web diziam que era.
Ignorei-a também porque não me estava a ver a pagar o preço de um dvd por uma obra oriental que nem passa dos 25 minutos e como tal os meses foram passando sem que eu tivesse muita vontade de ver o filme; embora ao mesmo tempo sempre soubesse lá no fundo que esta obra seria demasiado boa para ser vista pela primeira vez sacando-a apenas de um qualquer torrent obscuro.

Não tenho por hábito começar logo por aqui mas [“Voices of a Distant Star“] também não é propriamente um filme normal e como tal se vocês se interessam por Anime mais cinematográfico e menos televisivo; menos baseado na acção a duzentos frames por segundo e mais assente na própria beleza das imagens e na complexidade da história recomendo vivamente que se dirijam até aqui e comprem esta edição em dvd porque acima de tudo deve ser um dos melhores packs disponíveis actualmente para quem se interessa por cinema de animação em geral.
Portanto, antes de falar do filme [“Voices of a Distant Star“] deixem-me falar-vos um bocadinho deste pack dois-em-um que nesta altura (8-9-2008) devido á queda do dólar se encontra particularmente apetecível pois por pouco mais de 20€ vocês levarão para casa  dois excelentes filmes Anime e mais uns brindes a condizer.

Esta edição contém dois pequenos livros (um para cada filme do pack) totalizando umas 50 páginas a cores no total e que são um extra absolutamente excelente para quem se interessa pelo processo de realização de um filme animado.
E dizem vocês: – “Então e depois ? A gente já sabe como são os making offs destas coisas.”
Ah…Mas o que muitos de vocês não sabem é que [“Voices of a Distant Star“] é um filme especial porque é um produto 100% amador, escrito, produzido, desenhado e animado por um único gajo (ganda maluco) fechado durante meses a fio no seu quarto anónimamente produzindo esta pequena grande história.
Olhando para a qualidade dos desenhos ninguém diria que  [“Voices of a Distant Star“] é um produto amador o que acima de tudo torna esta obra num excelente exemplo daquilo que uma única pessoa sózinha pode conseguir se tiver talento para o que se propõe criar e muita paciência e preserverança para conseguir ultrapassar todos os obstáculos até alcançar o seu objectivo.

Visualmente o filme é absolutamente mágnifico e pelo detalhe informativo que nos é apresentado no livro de making off que vem neste pack, deve ter dado um trabalho do caraças a produzir pois foi inicialmente todo desenhado á mão, passou por inúmeras fases e finalmente foi concebido em Photoshop e também num programa de Render 3D para umas breves sequências espaciais . Todo o processo está detalhado não só no livro que vêm no pack como ainda também poderemos encontrar mais informação na contra capa de cada dvd que conta ainda também com ilustrações adicionais retiradas no filme.

Todo o pack tem uma óptima apresentação, bom grafismo e os livros estão muito bem impressos em papel fotográfico de excelente qualidade que realça a beleza das imagens retiradas do filme e nos deixa ainda mais espantados com a qualidade artística desta incrível produção amadora.  É que em 24 minutos passa tudo tão rápido que nem temos tempo para apreciar devidamente toda a qualidade das imagens e sendo assim este extra adicional do(s) livro(s) é o complemento perfeito para um pack de dvds que já de si seria bastante bom se só tivesse os filmes.

Além dos excelentes mini-livros esta edição contém ainda um disco adicional; um Cd com toda a banda sonora de [“Voices of a Distant Star“].
Não é uma banda sonora daquelas inesquecíveis mas é uma excelente trilha musical ambiental que além de acompanhar perfeitamente todo a atmosfera e emoções da história ainda resulta muito bem enquanto música para se ouvir fora do enquadramento da obra que ilustra e é um extra de cinco estrelas que  enriquece ainda mais este pack.

Com tudo isto já devem ter notado que ainda não falei do filme.
[“Voices of a Distant Star“] tem 24 minutos ! Não posso contar muito sobre ele porque parte do prazer está precisamente na sua descoberta, embora confesse que da primeira vez que o vi não me emocionou particularmente, mas isso deveu-se ao facto de eu ter passado todos os 24 minutos feito parvo; estupefecto com a qualidade artística do filme e sinceramente nem me apercebi muito bem das nuances da própria história. É que não se esqueçam que tudo isto foi criado apenas por uma única pessoa com um computador fechado em casa e o resultado visual já é suficiente para nos distraír por completo do argumento da primeira vez pois parece um filme profissional a todos os níveis justificando plenamente o facto do próprio jovem realizador já ter sido comparado a um novo Hayao Myiazaki pela crítica especializada e com todo o mérito.

Uma outra coisa que nos apanha de surpresa também quando vemos o filme da primeira vez (se o virmos na versão original japonesa) é a quantidade exagerada de legendas que está neste dvd. O que nos complica muito a vida quando estamos a tentar absorver a poesia da história. Eu explico.
Além das legendas para os diálogos, se uma paisagem do filme tiver por exemplo umas bandeiras ou uns sinais quaisquer escritos em japonês, também o que está escrito nesses detalhes gráficos está traduzido em inglés e legendado por cima da imagem o que muitas das vezes cria um verdadeiro puzzle de legendas (de duas cores) numa só imagem que nem dura dois segundos no ecran pois temos legendas para ler por tudo o que é espaço no ecran e isso desvia-nos completamente a atenção quando tentamos seguir o argumento.

Como se isto já não fosse suficiente para distrair o espectador da história principal do filme, consta também segundo a crítica internacional que a adaptação para inglés dos filmes deste realizador foi e continua a ser feita por um gajo americano que tem por hábito não se limitar a traduzir os diálogos originais mas inclusivamente a inventar frases para substituir o que na realidade foi dito, anulando por completo qualquer momento mais poético que estaria presente na escrita original e substituindo-o por aquilo que quem “traduz” acha que fica bem em inglés e não aquilo que foi realmente escrito.
Resultado, parece que seja na versão dobrada ou na versão legendada, aquilo que estamos a acompanhar de diálogos neste filme na verdade não é bem o que realmente foi escrito para a obra, o que segundo muito boa gente destroi a poesia que a versão original contém nos diálogos e que só poderá ser realmente captada por quem entender japonês.
Bem…Não se pode ter tudo. Ao menos os filmes estão editados no ocidente.

[“Voices of a Distant Star“] apesar dos seus escassos 24 minutos é um filme excelente, mas atenção isto não é Anime para todos os públicos. Se alguma vez houve um realizador que se pode realmente enquadrar dentro daquela definição de Cinema de Autor é este Makoto Shinkai pois os seus filmes não serão propriamente produtos comerciais.
Não são filmes de aventura, não têm espectaculares cenas de acção a todo o instante e na verdade são filmes muito leeeeeeeeeeeentos. Fica aqui o aviso, tanto [“Voices of a Distant Star“] como o outro filme do pack “The Placed Promised in Our Early Days” são filmes absolutamente lentos.
Ou melhor, são filmes extremamente contemplativos que decorrem a um ritmo que quase se pode comparar ao mais calmo filme do Manoel de Oliveira. São filmes que não têm pressa absolutamente nenhuma e nota-se.
Nota-se inclusivamente no próprio estilo da animação.

Talvez devido á inexperiência do realizador estreante, a verdade é que [“Voices of a Distant Star“] é mais uma espécie de filme com slides ligeiramente animados do que propriamente cinema em que a animação é aquilo que mais se destaca.
Toda a montagem do filme é feita á base de uma enorme sucessão de ilustrações com pequenos pormenores ligeiramente animados (durante breves segundos) e não é a habitual formula em que os cenários de fundo servem de base para a animação dos bonecos. Aqui acontece precisamente o contrário e os bonecos estão no filme mais para servir os cenários do que própriamente para serem o centro das atenções.
Todo o filme é contado com base em emoções geradas pela atmosfera dos desenhos, das paisagens e das atmosferas. Nota-se que os personagens são quase uma coisa secundária e é o próprio Shinkai a dizer nas entrevistas que acompanham os filmes que sempre se expressou muito mais pela poesia de uma paisagem e nunca se interessou muito pela criação de personagens, (sendo inclusivamente esta uma das críticas que lhe costumam fazer).

O filme tem cenas de acção mas estas não estão lá para impressionar e sim para servir a história, Neste caso [“Voices of a Distant Star“] conta a sua, através de uma sucessão de imagens quase paradas montadas de forma a criar um ritmo narrativo lento mas seguro e que já definiu um estilo, pois toda esta economia narrativa acabou por se tornar a imagem de marca do realizador e que continua presente nos seus novos trabalhos.
Podemos estar durante mais de dez segundos a olhar para uma imagem parada com uma narração a contar a história ou então a ouvir um diálogo entre dois personagens e só no último instante é que alguma coisa se mexe (minimamente) no ecran antes de passar á próxima imagem “parada” que faz avançar a história.
Isto pode parece uma seca descomunal á partida, mas a verdade é que resulta extraordináriamente bem. Acima de tudo porque a qualidade dos desenhos de Makoto Shinkai é tanta que estes realmente transmitem emoções pelo ambiente e na verdade quase que os seus filmes nem precisariam de bonecos não fosse a obrigatoriedade de ter que existir algum personagem para que o público se identifique com ele.

[“Voices of a Distant Star“] conta uma história simples mas nem por isso menos emocional.
Basicamente é uma história de amor entre dois adolescentes e como esse amor resiste á distância e ao passar dos anos.
Num contexto de guerra espacial em que a humanidade luta contra uma civilização extra-terrestre desconhecida, um rapaz e uma rapariga de 15 anos que habitam no japão apaixonam-se. No entanto a rapariga sonha em vir a pilotar um caça de combate apesar do rapaz saber que se ela procurar seguir uma carreira militar isso significa que a relação deles estará condenada pois ela terá de partir para o espaço.

Eles comunicam por telemóvel trocando mensagens SMS e é assim que as coisas continuam quando a rapariga parte de vez para combater as forças alienígenas, o problema é que devido á dilatação temporal por causa das viagens espaciais o tempo não passa de forma igual pelos dois apaixonados. Enquanto o rapaz envelhece a um ritmo normal na Terra, a rapariga continua com a idade de 15 anos no espaço pois para ela apenas passaram meses desde que partiu enquanto que para ele se passam anos.
Isto faz também com que a sua troca de mensagens cada vez vá ficando mais dificil, pois de cada vez que a rapariga se afasta mais do centro do sistema solar, mais tempo leva uma mensagem SMS do rapaz a chegar até ao seu telémovel partindo da Terra.
Basicamente é esta a base da história que percorre este pequeno grande filme criado por uma só pessoa e do qual convém nem dizer mais nada sobre ele.

——————————————————————————————————————

CLASSIFICAÇÃO:

Apesar dos seus escassos 24 minutos de duração, [“Voices of a Distant Star“] merece ser visto e ter um lugar de destaque em qualquer colecção de quem gosta de Anime, ou pura e simplesmente de cinema.
O facto deste filme ter sido inteiramente produzido por uma única pessoa trabalhando anónimamente em casa com o seu computador pessoal, tendo em conta toda a sua qualidade técnica e artística é um feito absolutamente extraordinário e que só por esse facto merece imediatamente um Golden Award.
Só é pena mesmo o filme ter tão curta duração pois a história que conta merecia um maior desenvolvimento mas mesmo assim nada se perde neste trabalho e cada fotograma é uma pequena obra de arte da ilustração.
Um pequeno grande filme digno realmente desta classificação.
Cinco tigelas de noodles e um Golden Award porque sim.

noodle2.jpg noodle2.jpg noodle2.jpg noodle2.jpg noodle2.jpg gold-award.jpg

A favor: a inteligência do argumento, a realização, a poesia das imagens, a qualidade das ilustrações, a montagem absolutamente calma mas precisa, os personagens simples, a banda sonora, é um trabalho 100% amador com uma qualidade incrível.
Contra: quem espera um filme de aventuras não o irá encontrar aqui, apesar de ser um Anime é claramente um filme de Cinema de Autor até porque acabou por criar um estilo muito próprio.

——————————————————————————————————————

NOTAS ADICIONAIS:

Trailer
http://www.youtube.com/watch?v=dc–DFC2w00&feature=related

Comprar edição especial
http://www.amazon.com/Shinkai-Collection/dp/B000BKSJ5W/ref=pd_bbs_2?ie=UTF8&s=dvd&qid=1220623921&sr=8-2
O dvd de [“Voices of a Distant Star“] contém ainda um par de extras muito interessantes. Além de trazer uma pequena mas muito interessante e esclarecedora entrevista com o realizador contém na verdade trés versões do filme. A primeira versão mesmo “caseira” em que o próprio realizador e a sua namorada fizeram as vozes dos personagens, a versão comercial distribuida á venda já com um cast de actores profissionais e um director´s cut.
Outro extra presente no dvd é também o primeiro desenho animado feito por Shinkai e que pelo visto já se tornou um filme de culto. Chama-se “She and her cat” e como já notaram é um filme sobre gatos. É uma pequnea experiência a preto e branco cheia de atmosfera e também aqui o dvd tem o filme em 3 versões sendo a de maior duração a versão de 5 minutos.

Além deste filme, o pack contém também o filme seguinte do mesmo realizador, “The Place Promised in Our Early Days” que já foi uma longa metragem e um trabalho já mais profissional (como se isto ainda fosse possível) pois Shinkai contou dessa vez com uma pequena equipa para o ajudar no seu segundo filme devido ao sucesso que [“Voices of a Distant Star“] teve.
Colocarei em breve aqui no blog também um review.

IMDB
http://www.imdb.com/title/tt0370754/

Outra Review
http://www.animenewsnetwork.com/review/voices-of-a-distant-star/dvd

——————————————————————————————————————

Advertisements

One thought on “Hoshi no koe (Voices of a Distant Star) Makoto Shinkai (2003) Japão

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s