CINEMAsiatico.wordpress.com

Wu Ji (The Promise) Kaige Chen (China) 2005

5 comentários


[“The Promise“], é um dos melhores filmes de Fantasia que vi até hoje e considero-o uma compra essencial para quem gosta do género.
Para mim este filme é o equivalente oriental a um Lord of the Rings.
Enquanto que Lotr é o expoente máximo de um filme de Fantasia tendo por base uma historia clássica de características ocidentais,  [“The Promise“]  é sem dúvida nenhuma o seu equivalente dentro das referências de fantasia orientais, sendo na verdade uma perfeita representação cinematográfica de um típico conto chinês.
Coisa que muito público parece não compreender.

O facto deste filme ser absolutamente trucidado por quase toda a gente no IMDB para mim é o exemplo perfeito do quanto americanizados estão os gostos das audiências ocidentais em geral.
As pessoas parece que apenas têm uma fórmula de – Fantasia – na sua cabeça e tudo o que não se enquadra no estilo Dungeons & Dragons americano parece ser á partida rejeitado, mesmo por aqueles que depois afirmam a pés juntos serem apreciador de filmes do género.

A sorte de filmes como Lord of the Rings foi terem sido baseados no romance que inventou (sem querer) o estilo que depois foi adaptado aos gostos americanos dando origem ao D&D.
Na verdade a fórmula D&D, não é mais do que uma repetição da estrutura narrativa de aventura que Tolkien inventou mas simplificada ao máximo, retirando-lhe tudo o que são partes “chatas/literárias” e basicamente deixando-lhe apenas a porrada mística.
Como consequência desta generalização, para muita gente, o género de Fantasia tem que obrigatóriamente contar com um grupo de herois-formuláticos, porque de outra maneira as pessoas até chegam a remeter histórias diferentes para o género infantil menosprezando-o por isso. Como se uma história de fantasia de características “infantis” fosse algo menor.

Apenas o estilo D&D é genéricamente reconhecido como Fantasia pela maioria do público ocidental e grande parte das histórias que se tornam populares são só mais do mesmo, não passando apenas de variações de tantas outras que já foram mil vezes escritas.
Geralmente mete sempre um jovem heroi ingénuo, um cavaleiro, um feiticeiro (clone de Gandalf), uma amazona ou princesa guerreira, um elfo e um anão que inevitávelemente têm uma Quest por resolver e onde há sempre uma espécie de super-vilão, normalmente um feiticeiro negro qualquer que comanda exércitos de orcs, dragões ou criaturas semelhantes e quer conquistar o mundo só porque é mau. Depois a aventura tem sempre a mesma estrutura, os herois vão de A a B e pelo caminho avançam recolhendo objectos mágicos até que chegam sempre ao confronto final com o feiticeiro vilão de serviço e o vencem como se espera por entre batalhas épicas e muito fogo de artificio.

Ora [“The Promise“] não tem grande coisa a ver com esta fórmula e portanto leva imediatamente com o desprezo de muita gente que não o consegue associar a um estilo de Fantasia ou sequer reconhecê-lo como fazendo parte da fórmula tradicional Chinesa de contar histórias. E mesmo que o reconheçam, raramente lhe dão o valor que merece pelo simples facto de que não segue as regras de aventura americanas.
É que [“The Promise“] é um conto de fadas e como toda a gente sabe isso são histórias para putos.
Conclusão o filme não presta.

No entanto eu não posso estar mais em desacordo.
Para mim este é um dos melhores, mais gráficamente poéticos e fascinantes filmes de Fantasia que vi desde Lord of the Rings.
Está numa categoria á parte e como tal nem vale a pena ser alvo de comparações, porque dentro deste género particular de fantasia oriental nunca houve nada assim.
[“The Promise“], tem lugar numa espécie de mundo made-in-Photoshop ao estilo História Interminável versão oriental, (mas sem criaturas fofinhas).
Um mundo com a estética e a poesia visual do “Hero” mas levado aos limites da imaginação gráfica e que serve de palco a uma história de amor tradicionalmente decalcada da fórmula do conto-de-fadas e que desta vez é também complementada com extraordinárias coreografias de artes-marciais ao melhor estilo wuxia.

Alguém classificou [“The Promise“] como um filme de Super-Herois oriental passado num reino de fantasia, mas sem o vazio presente nas formulas de filmes americanos. Acho que é uma excelente classificação pois a mitologia chinesa está cheia de herois com super-poderes que já existiam em contos tradicionais milhares de anos antes dos X-Men terem sido pensados.

Recomendo este filme a 100% para toda a gente que goste de fantasia e não tenha problemas com o estilo oriental.
Tenho amigos que odeiam filmes estilo “Hero” porque os personagens voam quando lutam, mas já gostam dos filmes de super-herois de Hollywood porque – “…não têm fantasias parvas”.
Se o leitor também se enquadrar nesta opinião, então não vejam [“The Promise“] pois esta é a base das suas cenas de acção. Cenas que não pretendem ser “reais” mas sim ilustrar plenamente o conto-de-fadas que estão a servir.
E não o poderiam fazer melhor pois as cenas de luta são mágnificas apesar de completamente irreais pois são extremamente estilizadas e pensadas até ao último detalhe de cada coreografia de acção.

Para quem gostou de “Hero“, têm aqui um filme imperdível, desta vez além do visual incrível ainda levam uma história de amor única dentro do género que na realidade só peca por o personagem da princesa ser quase insuportável.
Tudo isto complementado a uma escala épica com cenários e batalhas que certamente agradarão ao mais exigente admirador do Lord of the Rings apesar deste estilo de fantasia não ter nada a ver com a fórmula D&D.
Além disso é uma excelente introdução ao género de Fantasia oriental para todos aqueles que não o conhecem ainda.

Na sua essência, [“The Promise“] é um perfeito exemplo de como se pode fazer bom cinema digital sem cair na desgraça que foi por exemplo o filme “Casshern” ou até mesmo “A Chinese Tall Story“, onde a pura exibição de efeitos digitais destruiu por completo os filmes que simplesmente deixaram de existir enquanto objecto cinematográfico.
Nada disto acontece em  [“The Promise“]. Apesar da enorme quantidade de efeitos deslumbrantes que este filme contém, a parte humana da história está lá no centro de tudo e por muito espectaculares que os visuais do filme sejam a todo o instante, estes estão lá para servir o conto que o realizador está a ilustrar e não apenas para mostrar efeitos especiais.
Isto, ao contrárido do que aconteceu em “Casshern” é o grande trunfo deste filme.

Muitas pessoas parecem ter ficado muito chateadas com o excesso de paisagens digitais, daquelas onde óbviamente se nota que existem montagens fotográficas, (quer dizer que nos filmes americanos não se nota ?!); mas  [“The Promise“] tem de ser visto como o conto-de-fadas que é.  Como tal, todo o estilo de ilustração que percorre o filme não é mais do que a tentativa de reproduzir no ecran a sensação de que estamos a ver um livro ilustrado.
Daí as cores vivas, a “falta” de naturalidade dos ambientes e tudo o mais daquilo que muita gente toma por falhas mas na minha opinião é precisamente a grande força do filme, pois vê-lo é como estar a ler um livro grandiosamente ilustrado em que todos os desenhos estão em movimento.

Num mundo actual , onde filmes de efeitos especiais existem ás centenas, é bom ver que num produto que é essencialmente uma obra de efeitos especiais, o realizador conseguiu afastar o filme de todas os excessos e armadilhas narrativas que o poderiam ter tornado numa obra falhada.

Visualmente tudo é perfeito como conceito, embora nem sempre técnicamente os efeitos digitais sejam os melhores.  Este filme na verdade tem variações técnicas estranhas entre excelentes efeitos digitais e efeitos digitais, digamos…assim,assim.
No entanto, desde as paisagens imaginárias, até ao guarda roupa exuberante e ás imaginativas coreografias de luta tudo se encaixa perfeitamente nos variados efeitos especiais sem nunca descuidar os personagens que são sempre a alma da história.
O que me leva ao único ponto negativo em  [“The Promise“] e que na minha opinião quase que estraga a ligação do espectador com a história de amor apresentada no filme.
É que infelizmente o personagem da princesa é tão irritante que uma pessoa quase que passa o filme todo a torcer para que alguém lhe enfie uma flecha nas trombas.

Deixem-me explicar-lhes melhor…
Alguém se importa que, por exemplo a Paris Hilton fique sem o novo namorado desta semana ?…
Pois, bem me parecia.🙂
Agora imaginem que o centro da história de amor em  [“The Promise“] é precisamente o equivalente medieval oriental da Paris Hilton.
Resultado, por mais que o realizador se esforçe em tentar convencer o espectador de que aquela mulher merece ter tamanha influência emocional na vida dos dois herois que formam o triangulo amoroso do filme, as coisas nunca parecem muito lógicas.
É que a princesa é uma verdadeira bitch mimada, o que transforma imediatamente os dois herois e rivais em dois carneiros sem personalidade e ás vezes por causa disso pode ser complicado seguirmos certos momentos do filme sem nos questionarmos sobre esta “falha” porque pelo menos eu, não senti durante o filme a ligação emocional a esta história de amor que deveria sentir enquanto espectador e isso desapontou-me ligeiramente pois um filme visualmente tão romântico pedia uma história de amor com personagens a condizer e isso nem sempre acontece.

Felizmente que este pormenor é devidamente compensado pelo final, onde o realizador consegue arrancar mais alguns momentos tocantes, apesar de até aí não termos realmente compreendido porque os personagens estavam tão apaixonados pela rapariga, acabamos no entanto por nos identificar com as suas emoções e as inevitáveis escolhas trágico-romanticas, fechando com chave de ouro um filme incrível que merecia melhor protagonista feminina no que toca á construção depersonagens.

Por outro lado, como já disse, isto é um conto-de-fadas e por tradição as princesas no género sempre foram um bocadinho parvas…por isso se calhar  [“The Promise“]  até neste aspecto terá cumprido plenamente o seu propósito enquanto filme de fantasia oriental.
Sendo asim e porque este texto já vai longo, nem vou resumir a história, porque poderão ter uma excelente ideia se virem o trailer mais abaixo.

——————————————————————————————————————

CLASSIFICAÇÃO:

Apesar da princesa irritante  [“The Promise“]  é um dos melhores filmes de Fantasia que poderão encontrar no mercado e mereceu plenamente a nomeação para o Oscar do melhor filme estrangeiro em 2006, embora não o tenha ganho.
Agora precisa de uma mente aberta da parte do espectador, e este não pode estar á espera de encontrar aqui um filme de Kung-Fu ou um Épico medieval, pois o que temos aqui é uma história tradicional chinesa magistralmente passada a imagem.
Sendo assim dou-lhe a nota máxima…embora se calhar nem mereça tanto, pois o filme não é tão perfeito assim e o facto da história de amor que deveria ser a alma do filme nem funcionar particularmente tão bem quanto deveria, também lhe retira alguns pontos.
Mas a verdade é que mesmo assim eu adoro este filme e é um daqueles que tem qualquer coisa especial que me faz sempre ter vontade de o rever.
Por isso mesmo, leva cinco tigelas de noodles e um Golden Award como selo de qualidade pois é um excelente filme comercial com um toque artístico de cinema-de-autor que só lhe fica bem.

noodle2.jpg noodle2.jpg noodle2.jpg noodle2.jpg noodle2.jpg gold-award.jpg

A favor: imagens mágnificas com enquadramentos poderosos que transmitem toda a poesia da história, o visual espantoso dos cenários, o guarda-roupa, as sequências de luta coreografada, o personagem do “vilão” amaldiçoado, a banda-sonora, o ambiente de conto-de-fadas, a atmosfera romântica clássica presente numa china imaginária, é uma história de fantasia original, o final do filme que em vez de resolver tudo com uma batalha épica adopta um tom intímista simples e emocional.
Contra: o personagem da princesa com o seu estilo Paris Hilton medieval é absolutamente irritante, a história de amor não é tão credível como deveria de ter sido e apenas agarra o espectador mesmo no final, a sequência de batalha inicial apesar de grandiosa torna-se um bocado rídicula por causa do seu estilo demasiado cartoon onde nem faltam os bárbaros com armas de plástico (?), alguns efeitos digitais são mesmo mauzinhos e nota-se um grande desiquílibrio técnico nesse aspecto ao longo do filme pois varia entre excelentes efeitos e outros não tão excelentes assim sem grande razão aparente para isso ser assim.

——————————————————————————————————————

NOTAS ADICIONAIS:

Excelente Trailer apesar de dobrado em inglés.
A apresentação narrada em inglés apesar do sotaque um bocado duvidoso, demonstra bem o ambiente do filme por isso se gostarem do que virem abaixo irão certamente apreciar [“The Promise“].
http://www.youtube.com/watch?v=WpUYSHUrueQ

Trailer original chinês
http://www.youtube.com/watch?v=ASix-v_-P2k


COMPRAR

Se ainda conseguirem encontrar esta edição, comprem-na imediatamente sem hesitar. Infelizmente parece que se encontra já esgotada em todo o lado, mas nunca se sabe, pois podem ainda conseguir encontra-la algures.
http://www.play-asia.com/paOS-13-71-7k-77-4-49-en-15-the+promise-70-1929.html
É a edição que eu tenho e vem numa embalagem particularmente criativa de plástico e cartão com um design excelente e um conteúdo ainda melhor. Tem uma imagem e som absolutamente perfeitos, excelente legendagem em inglés até nos comentários audio e pelo menos 150 minutos de extras com tudo e mais alguma coisa sobre o filme além de trazer na caixa um livro exclusivo só com ilustrações originais e uma pequena colecção de postais. E na altura quando estava disponível só custava 15€ !!

Mas…como certamente já não vão encontrar essa edição á venda, sugiro que comprem a edição UK em caixa normal, que basicamente é a mesma da edição especial mas sem todos os extras.
Caso prefiram, também já existe em Blu-Ray e este é um daqueles filmes que tem tudo a ganhar com o formato pois viusalmente é fabuloso.

AVISO IMPORTANTE SOBRE A EDIÇÃO PORTUGUESA
NÃO COMPREM a edição portuguesa editada pela Prisvideo !
A capa é esta :
http://www.wook.pt/ficha/a-promessa-dvd … id/1526254 Grr:-)

Finalmente lançaram o filme em Portugal mas mais uma vez temos direito a outra edição á portuguesa.
Para minha surpresa lançaram a versão “americana” do filme. Não está dobrado, mas o publico português tem de comer com uma nova introdução que logo nos créditos iniciais explica muito bem explicadinho, onde fica o reino dos bons, dos maus, quem são os personagens, o que são, o que farão dentro do contexto da história, etc, etc, etc.
Tudo muito bem detalhado, onde não faltam inclusivamente uns desenhos feitos á pressa que mostram logo o aspecto de personagens que aparecem ao longo do filme e que deveriam pelo menos manter um efeito de mistério.
Resumindo, na edição portuguesa, explica-se logo tudo muito bem explicadinho não vá depois o público não conseguir distinguir os maus dos bons mais tarde.

Mas isto nem sequer é o pior.
O pior de tudo, é que num filme tão visualmente épico parece que alguém achou que pelo menos um terço da imagem dos lados não fazia cá falta nenhuma e mais uma vez temos uma edição Portuga que apesar de referir o tão reconfortante 16:9 na caixa, na verdade a beleza dos cenários está mutilada porque na práctica os portugueses vão ver algo semelhante a um 4:3 onde tudo está muito bem centradinho no ecrã mas onde falta muito da imagem nos lados. Muito mesmo.
Estive a comparar a edição PT da PRISVIDEO, com a minha edição Chinesa (região zero), e nem tem comparação.
The Promise depende extraordináriamente da beleza e da composição das suas paisagens e cenários para resultar como espectáculo cinematográfico e isso perde-se por completo na edição agora colocada á venda em Portugal pois todo aquele sentido épico visual fica constrangido por apenas se ver no ecrã a imagem essencialmente centrada sem dar qualquer valor ao enquadramento original. grr-)

E é melhor nem falar da diferença de som, entre a edição Portuga editada pela Prisvideo e a edição Chinesa por exemplo… eh-)
Se a vastidão das paisagens se perde por completo devido a faltar no ecrã um terço da imagem, o mesmo acontece com a fabulosa aura tridimensional que existe nas pistas sonoras deste filme na sua edição oriental.
Não sei onde raio vão buscar estas edições para lançar em Portugal, mas também aqui levamos com um 5.1 standartizado incomparável com o fantástico som surround que existe tanto nas pistas 5.1 como DTS das edições chinesas.
Ah…e claro que podem esquecer o DTS na edição Portuga também.
E as legendas estão coladas.

E como se não bastasse ainda por cima, há algo errado com a navegação do menú da edição Portuga que nos faz andar ás voltas com os botões pois insiste em querer passar os trailers que o disco contém, mesmo quando estamos a tentar começar a ver este filme de fantasia romântica e o dvd insiste em passar o trailer da nova obra do Steven Seagal (não estou a brincar)

——————————————————————————————————————

Website oficial
http://wip.warnerbros.com/promise/

IMDB
http://www.imdb.com/title/tt0417976/

——————————————————————————————————————

Filmes “semelhantes” de que poderá gostar:

A Chinese Tall Story The Myth Shinobi

——————————————————————————————————————

Autor: Alcaminhante

Chamo-me Luis, tenho 45 anos e sou desenhador gráfico/ilustrador de profissão. www.icreateworlds.net Trabalho essencialmente como freelancer em ilustração tradicional e também em criação gráfica destinada á internet. Também trabalho em Banda Desenhada e quem quiser ir buscar os pdfs grátis do meu livro "As Aventuras do Príncipe Ziph" , sigam para aqui: http://icreateworlds.net/banda-desenhada-quadrinhos-gratis Interesso-me essencialmente por cinema, literatura, fotografia e longas caminhadas ao ar livre o mais longe de centros urbanos possível. De preferência junto ao mar e em praias isoladas. Tenho actualmente um blog sobre Cinema Oriental, outro sobre Ficção-Cientifica e ainda um site sobre Marte que podem encontrar aqui: http://www.o-enigma-de-marte.info Espero que gostem das sugestões e voltem sempre. Luis

5 thoughts on “Wu Ji (The Promise) Kaige Chen (China) 2005

  1. mande tudo do gênero

  2. Oii, encontrei seu blog por acaso, procurando algumas dicas de filmes orientais..vi “The Promise” esta semana e estava querendo mais filmes parecidos..só aqui consegui achar mais opções!
    Simplesmente adorei seu blog, muito legal!
    Também gostei da forma como você escreve suas reviews, bem direto e sem muita frescura, continue assim!😉

    Com certeza voltarei aqui mais vezes..

  3. eu sou simplesmente louca pra ver esse filme, mas eu nao encontro nem pra comprar nem pra assistir online, sera que voce podia me indicar um site ou algo do tipo pra eu comprar ou assistir online? Eu tenho a mais plena certeza de que vou amar, pois sou apaixonada por Hero, e outros do genero.

  4. Pingback: Monk comes down the mountain (Dao shi xia shan) Chen Kaige (2015) China |

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s